container - hyperbanner (cópia 1)

BAHIA FM

É o Tchan relembra velhos tempos no Shopping Cajazeiras

O grupo de Beto Jamaica e Compadre Washington se apresentou no programa Fuzuê, da Bahia FM (88.7)

Roberto Midlej ([email protected]))
- Atualizada em

Compadre Washington e Beto Jamaica lembraram sucessos como Alô Tchan 
(Fotos: Marina Silva)

A maioria do público que foi ao Shopping Cajazeiras nesta quarta-feira (17) para acompanhar a participação do É o Tchan no programa Fuzuê, da Bahia FM, não tinha nem nascido quando o grupo estourou com sucessos como Pau Que Nasce Torto, Paquerei e Tô Melado, em 1995. 

O estudante Warley Carvalho, 16 anos, terminou de fazer uma prova no Colégio Eduardo Bahiana, lá mesmo, em Cajazeiras, e foi para a apresentação. "Já vim para as apresentações de Psirico e de Tayrone aqui no Shopping e voltei hoje. Eu gosto do Tchan, mas vim mais pra zoar mesmo. Mas se me chamarem, eu vou dançar lá na frente", disse o jovem pouco antes de começar o Fuzuê.

Beto Jamaica e Compadre Washington chegaram ao meio-dia em ponto. O Compadre tratou logo de transmitir a festa pelo seu Instagram e Beto cumprimentou o público: "Cadê o grito de Caja City? Cajazeiras vai ferver agora", prometeu o vocalista. Surpresa com a aparência do cantor, que nem de longe aparenta seus 52 anos, a apresentadora Nanny Moreno, que divide o Fuzuê com Mauricio Habib, perguntou como o vocalista faz para manter a forma. Beto deu sua receita: "Tomo minha cachaça e como meu feijão". E Compadre Washington disse que só bebe água mineral.

Em clima retrô, a produção da Bahia FM levou cordas e bambolês, para relembrar as antigas coreografias do Tchan. Alvo de piadas porque às vezes erra a letra das músicas, especialmente as mais velhas, o 'cumpadi' se defendeu: "Eu não erro não! Eu só esqueço e são duas coisas bem diferentes". 

Em seguida, emendaram um clássico: Disque Tchan (Alô Tchan), do disco de 1997. Foi logo depois que subiram duas mulheres da plateia para fazer as vezes de Carla Perez e Scheila Carvalho, as dançarinas da "formação clássica" da banda.

A estudante de educação física Chaiene Santos, 26, uma das que subiu no palco, saiu do trabalho, em Lauro de Freitas e em dez minutos chegou ao Shopping, só pra ver o Tchan. Bem desenvolta no palco, ela disse que em outubro passado, no dia de seu aniversário, dançou pela primeira vez num show do grupo, no Clube Espanhol. "E participei de uma seletiva pra ser dançarina dentro do rodízio que eles vão fazer. Agora, tô esperando o resultado". 

Terminada a participação, bem suada, Chaiene garantiu que voltaria ao trabalho. "Vou direto pro trabalho, para os clientes sentirem o calor da emoção", divertiu-se. Ao lado dela, estava no palco a amiga Lauana Rodrigues, de 23 anos, que é instrutora do Fit Dance, canal do YouTube que ensina as coreografias da música baiana. De quebra, além da participação no Fuzuê, as duas foram convidadas por Beto Jamaica para dançar de novo com a banda no próximo show do Tchan.

Depois delas, não é que Warley, aquele estudante que antes havia dito que subiria no palco se fosse chamado, acabou subindo mesmo? Ao lado de outro amigo, ainda mais solto que ele, os meninos foram até mais aplaudidos que as dançarinas.

(cópia 1)

(cópia 2)